O Núcleo de Ensino Personalizado (NEP) da Dom Helder realizou, neste mês, reunião com os monitores acadêmicos na Unidade 3, localizada em Casa Branca. O objetivo foi avaliar os impactos do uso das tecnologias e das novas metodologias na aprendizagem, tendo como inspiração a metodologia Comunidade de Conhecimento.

A programação teve início com café da manhã, seguido por dinâmica que discutiu os impactos da Tecnologia no século XXI. A atividade foi coordenada pelo professor Rogério Viera, coordenador do NEP, da Ouvidoria e da Monitoria Acadêmica.

O professor Adair Rocha, pedagogo e mestre em Educação, deu prosseguimento aos debates com a palestra ‘O que se espera do discente do Ensino Superior no século XXI:  desafios das Novas Tecnologias’. Em seguida, os alunos realizaram trabalho em grupo e apresentaram os resultados aos colegas.

A programação contou ainda com almoço, informes sobre o Programa Magis Brasil transmitidos pelos professores Carlos e Gabriel, jesuítas da FAJE, e avaliação da Nova Metodologia no aplicativo Forms.

“Gostaria de agradecer a toda a Equipe do NEP por esse momento agradável de aprendizado, troca de experiências e lazer que passamos juntos. Obrigado por todo o incentivo e trabalho da coordenação da Monitoria nesse semestre (de novas experiências para muitos) para o crescimento nosso como alunos e monitores. Que mais momentos assim se repitam de forma cada vez melhor e prazerosa entre todos nós, alunos, professores e funcionários”, afirmou o monitor Mateus Pedro Oliveira Martins Rocha ao final da atividade.

Em entrevista ao portal Dom Total, a monitora Ana Raquel Latorre Ribeiro também deixou sua avaliação sobre a Monitoria Acadêmica. Ela está no 10º período e atua como monitora desde o 7º período.

Dom Total: O que te motivou a ingressar e permanecer na atividade?

Ana Raquel: Busquei a monitoria por ter interesse em conhecer mais a Pedagogia Inaciana, já que percebi que os professores que seguiam os passos da pedagogia eram mais didáticos e que nessas matérias o aprendizado era facilitado. A bolsa de 30%, oferecida pela instituição aos monitores, também foi um atrativo para o ingresso.

A partir daí jamais cogitei em deixar a monitoria, já que encontrei um espaço de aproximação com a escola, colegas e professores. As atividades desenvolvidas na monitoria são sempre muito interessantes e construtivas e, como monitora, tive oportunidade de participar de diversos eventos e congressos na ESDHC. Passei a acreditar muito na Pedagogia Inaciana e a aplicá-la em meus estudos. 
 
Dom Total: Quais os principais benefícios da Monitoria, em sua opinião?
 
Ana Raquel: Dentre os benefícios posso citar a oportunidade de conhecer mais a Pedagogia Inaciana e aplicá-la em meus estudos pessoais, o maior contato com a Escola e seus objetivos, princípios e metas, a oportunidade de participar de diversos eventos da Escola (congressos, reuniões, realização de relatórios), o maior contato com colegas de diferentes períodos e turnos, a oportunidade de contribuir para o aprimoramento da aplicação da Pedagogia Inaciana na ESDHC. 
 
A função de monitor exige do aluno que assuma uma maior responsabilidade em relação aos estudos e que tenha constante cuidado com a postura ética, o que certamente contribuiu para o meu crescimento pessoal e estudantil. A monitoria fez parte da experiência maravilhosa que tive em estudar na ESDHC e deixo a Escola com sentimento de gratidão, alegria e muitas saudades.