Os alunos da disciplina Direito e Tecnologia acompanharam palestra da advogada Paula Guimarães Figueiredo, presidente da Comissão de Direito para Startups OAB-MG, na última quarta-feira (7). O convite foi realizado pelo professor Fábio Veras, que ministra a disciplina.

Após a palestra, Paula conversou com a equipe do portal Dom Total, confira:

Qual foi o tema da aula que a senhora ministrou para a turma do professor Fábio Veras?

Nós conversamos sobre os desafios e as oportunidades da advocacia moderna, fazendo um paralelo entre as opções tradicionais de carreiras jurídicas e todas as oportunidades que têm surgido com a consolidação da tecnologia no nosso dia a dia, e mais especificamente, nas nossas atividades como operadores do Direito.

Os alunos têm atualmente muitas oportunidades além das funções tradicionais da advocacia, que seriam trabalhar em escritórios, empresas ou prestar concursos. Dentre essas muitas possibilidades estão as startups do Direito e também a solução dos problemas jurídicos modernos, que surgem com o uso da tecnologia consolidado em nossas vidas.

A área do Direito sempre foi vista como mais fechada e tradicional. Como a Comissão tem trabalhado para levar ideias como startups e inovação aos advogados?

A Comissão tem por objetivo levar pautas de empreendedorismo, inovação e tecnologia para serem discutidas pelos advogados, porque esses assuntos não são normalmente tratados nas grades de Direito, pelo menos não até hoje. Entendemos que essas pautas são fundamentais, não só para o advogado e o operador do Direito no seu dia a dia, como consumidor de tecnologia, mas principalmente para abrir as oportunidades para que o advogado possa empreender também.

Então trazemos essas pautas para a Comissão através de eventos internos, convidamos palestrantes para falar sobre temas de interesse em nossas reuniões mensais. Fazemos também uma série de eventos para o público, nos quais advogados e não advogados participam. Lembrando que a nossa Comissão é composta por representantes de todas as áreas importantes do ecossistema mineiro.

Também transmitimos nossos eventos pelas mídias sociais e temos o propósito muito forte de cooperar com outras associações, instituições e comissões de startups pelo Brasil. Temos ainda o propósito de levar nossos eventos para o interior de Minas, para estar próximos aos advogados, e isso tem acontecido nesse um ano e meio de atuação da Comissão.
 
No dia 17/11, a Dom Helder realizará uma feira de tecnologia e a etapa final de uma competição de aplicativos. Como a senhora avalia a iniciativa? As faculdades têm acompanhado as mudanças do mercado e do mundo atual?

Avalio essa iniciativa como extremamente inovadora, acho que a Dom Helder está demonstrando pioneirismo e alinhamento com as novidades e as necessidades que os profissionais precisam ter. Acredito que agora as demais instituições de ensino já estão procurando iniciativas e cursos que envolvem o empreendedorismo e tecnologia, mas ainda não tenho conhecimento de nenhuma outra competição de aplicativos nas faculdades que mantivemos contato, seja individualmente ou através da comissão e das atividades institucionais. Parabéns à Dom Helder pela iniciativa!