O SISTEMA DE LOGÍSTICA REVERSA COMO FORMA DE DESENVOLVIMENTO DAS EMPRESAS BRASILEIRAS: O CAMINHO DO CAPITAL NATURAL.

João Ricardo Holanda do Nascimento, Renata Albuquerque Lima

Resumo


O arcabouço legislativo ambiental brasileiro sofreu a inclusão, dentre os reforços positivados pela Lei nº 12.305/2010 (Política Nacional de Resíduos Sólidos), do Sistema de Logística Reversa, que tem como objetivo a responsabilização de todos os atores do ciclo de vida dos produtos, pela sua destinação final. Dentre os responsabilizados, se inclui a sociedade empresarial brasileira, a exemplo de fabricantes, distribuidores e comerciários, que passam, a partir da inovação legislativa, a ter mais um ônus legal na atuação corporativa. O presente trabalho, por meio de pesquisa bibliográfica, visou conceituar o sistema de logística reversa, ainda pouco debatido no Brasil, a fim de verificar a sua aplicabilidade nas organizações brasileiras, não como um ônus à finalidade central lucrativa, mas como um meio plausível de direcioná-las à sustentabilidade, segundo o conceito de capital natural, sob o viés defendido por Tercek e Adamns, com a possibilidade de ser uma alternativa capaz de desenvolver as empresas de lucrativa e, ao mesmo tempo, sustentável.


Palavras-chave


Logística Reversa. Empresas Brasileiras. Capital Natural.

Texto completo:

PDF PDF (English) PDF (Español)


DOI: http://dx.doi.org/10.18623/rvd.v15i32.1247


 
Mídias sociais:
 
Apoio: